CUIABÁ

TURISMO

Destino dos famosos: a tranquilidade e o refúgio tropical de Anguilla

Publicados

TURISMO

source
Harry Styles, Beyoncé, Jay-Z e Adele estão entre famosos que apoveitaram o refúgio de Anguilla
Reprodução/montagem

Harry Styles, Beyoncé, Jay-Z e Adele estão entre famosos que apoveitaram o refúgio de Anguilla

Pé na areia branquinha, mergulho em mares turquesas, culinária regional rica e a possibilidade de passar o dia desfrutando de drinks à beira da praia ou em ilhas maravilhosas. Esses são só alguns atributos do que é possível fazer em Anguilla, que é considerada como a melhor e mais bela ilha do Caribe .

Anguilla é ideal para quem quer se distanciar da rotina e busca por privacidade, o que faz do local o destino preferido de muitos famosos internacionais e nacionais. Entre os nomes que já buscaram pelos encantos do local estão Harry Styles, Beyoncé, Jay-Z, Justin Bieber, Adele, Paris Hilton, Paul McCartney, Harrison Ford e LeBron James. Entre os brasileiros, Fernanda Vasconcellos, Caio Castro, Cássio Reis e Camila Coelho são algumas estrelas que marcaram presença.

Anguilla faz parte do território britânico e é vizinha de outras ilhas paradisíacas muito badaladas, como a ilha de São Martinho e as Ilhas Virgens Britânicas. Estima-se que a região conta com uma população menor do que 15 mil habitantes, o que só evidencia o porquê o local é sinônimo de refúgio, anonimato e calmaria.

A região e as ilhas que estão em seu território são pequenas e é possível conhecer o destino inteiro em poucos dias. Com 91 quilômetros quadrados, ela pode ser percorrida inteiramente de carro em 45 minutos. Pelo território plano, é comum que turistas aluguem bicicletas para explorar o local com facilidade e da melhor forma: sentindo o vento no rosto e apreciando cada tesouro anguilano sem pressa.

A ilha é dividida entre as alas West End, que proporciona um pouco mais de agito, e East End, cujas belezas são voltadas para quem realmente quer ficar imerso em total quietude. As praias são, definitivamente, as principais atrações de Anguilla. Quem já teve a oportunidade de passar por lá aponta que a beleza da região é sem igual e proporciona uma “parada no tempo” ao visitante.

As baías e as praias são sempre marcadas pelas águas bem azuis e pela areia fofinha e branca, por vezes acompanhada também da vegetação bem verde. A temperatura ambiente e das águas são agradáveis durante o ano todo; a média do clima por lá é de 28ºC a 32ºC.

Em determinados períodos do ano, a ilha recebe festivais de música e de culinária que se tornam grandes atrativos e incrementam ainda mais as possibilidades do que fazer em Anguilla . O mais famoso deles é o Festival del Mar, que acontece anualmente em Island Harbor, nos fins de semana de Páscoa. Torneios de natação e pesca, competições culinárias, shows, degustação de frutos do mar e corrida de barco a vela (o esporte local) estão entre as atrações do período.

Leia Também:  Felipe Prior e Gui Araújo são escalados para novo reality com famosos

Por falar em culinária, esse é um dos pontos mais fortes de Anguilla. A ilha caribenha é repleta de restaurantes sofisticados, além de ser dona de muitos pratos interessantes para serem degustados. Os mais marcantes deles é a típica sopa do Miss Mabel, que é um guisado de cabrito, e o churrasco de costelas do Ken.

Como chegar em Anguilla?

Os principais voos diretos para Anguilla saem de Miami e da Cidade do Panamá. Desde abril deste ano, a American Airlines opera voos diários com saída do Aeroporto Internacional de Miami com chegada pelo Aeroporto Internacional Clayton J. Lloyd (AXA), perto de The Valley, capital de Anguilla.

Também é possível chegar pelo aeroporto de Sint Maarten (lado holandesa das Ilhas de São Martinho, diferente de Saint-Martin, que corresponde ao lado francês) e pegar um barco à Anguilla. O trajeto do barco tem previsão de chegada de 20 minutos à ilha.

Com saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU), em São Paulo, os preços das passagens aéreas, ida e volta, podem custar a partir de R$ 9,5 mil* e até passar dos R$ 20 mil. Fechar a viagem com bastante antecedência pode ajudar o turista a encontrar preços mais baixos.

O que fazer em Anguilla?

West End

Considerado o lado mais efervescente da ilha, é na West End onde estão os principais hotéis e resorts cinco estrelas, os restaurantes mais populares e algumas das mais belas praias de Anguilla. As principais praias da região são Barnes Bay, Cove Bay, Maundays Bay, Meads Bay, Rendezvous Bay e Long Bay. Todas elas formam um arco de areia luminoso e macio, acompanhado pelo belo mar azul. O principal cartão-postal de West End é o esplendoroso arco de pedras que se ergue acima do nível do mar.

East End

Este lado de Anguilla é marcado pelo clima ainda mais calmo, tranquilo e relaxante. Não à toa, a principal atração da região é uma praia praticamente deserta chamada Shoal Bay. Ali, os guarda-sóis azuis, as montanhas e os coqueiros tombados ajudam a compor a atmosfera paradisíaca da beira mar. O clima de isolamento garante muita privacidade. A região conta ainda com muitas opções de spa, algumas acomodações, bares e restaurantes.

The Valley

Localizada no centro de Anguilla, a capital abriga bancos e prédios governamentais, reserva traços da arquitetura colonial inglesa e preserva construções históricas datadas do século 19. A ilha conta com uma grande variedade de construções de igreja, sendo a principal delas a St. Gerard’s Catholic Church (pela estrutura em três arcos pontiagudos e a fachada de pedras).

Leia Também:  Conheça Salta: empresa conecta o Brasil com o Norte da Argentina

Há algumas praias na região, como a Crocus Bay Beach, que tem águas claras e tem trechos do mar cercados por paredões rochosos, e a Little Bay, que é bem pequena e conhecida por ser uma das mais quietas de toda a ilha.

Atividades aquáticas

A abundância de mar e o clima sempre tropical convida os turistas a realizarem diversas práticas aquáticas e subaquáticas. Mergulhos no mar, snorkeling, observação de animais marítimos e stand up são apenas algumas das possibilidades do que pode ser feito em Anguilla; sem falar nos passeios de barco e escuna. É possível incluir essas aventuras no pacote ou buscar por elas em agências de turismo.

Nos territórios de Cove Bay e Long Bay, no meio do mar, o turista pode se aventurar também no Anguilla Watersports, parque aquático que oferece estrutura e diversas opções de esportes radicais marítimos para praticar.

Assistir corridas de barco a vela

Na primavera e no verão são realizadas diversas corridas, mas é no fim de semana do Festival del Mar que acontece a final da Semana de Corrida de Barcos. O nome dos espectadores desses eventos é Landracers, que se reúnem na costa da praia para torcer para o time preferido.

As corridas de barco a vela são uma tradição e passatempo enraizados na região desde o início do século 20. Além de ter um forte contexto histórico que remete ao retorno dos trabalhadores, que buscavam emprego em outras ilhas em um momento crítico da economia anguilana e apostavam as corridas ao regressar, é um esporte que causa muita emoção e adrenalina (tanto ao espectador como ao participante).

Island Harbor

Localizada no extremo leste, é uma vila de pescadores bastante pitoresca e charmosa. O local conta com um belo píer de pesca rodeado de conchas e repleto de barquinhos coloridos, um dos locais mais instagramáveis de toda ilha. Island Harbor é conhecida também por ser a sede do tradicional Festival del Mar.

Scilly Cay

De Island Harbor, é possível pegar um bote para Scilly Cay, uma bela ilha privada conhecida principalmente por ser o eixo gastronômico de Anguilla. Por lá, é possível desfrutar dos pratos típicos da melhor qualidade à base de frutos do mar, como lagosta grelhada, lagostim e caranguejo. A região também é conhecida por oferecer o característico ponche de rum.

Entre no grupo do Telegram do Portal iG !

*Preços consultados em 20 de maio de 2022 considerando as datas de 19 a 26 de junho.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TURISMO

Conhecemos: Paris 6 faz a mistura de  gastronomia e cultura em SP

Publicados

em

O Paris 6 tem uma concepção inspirada na década de 1920
Divulgação

O Paris 6 tem uma concepção inspirada na década de 1920

Mais do que um restaurante, o Paris 6 é um ponto de referência da alta gastronomia na cidade de São Paulo e virou um ponto de encontro de artistas, esportistas e influenciadores. O proprietário da marca, Isaac Azar, cedeu sua mesa predileta para o iG Turismo, que fica em um cantinho especial na parte interna do restaurante Classique, o primeiro de uma rede, localizado no coração dos Jardins, um dos bairros mais caros da capital.

Isaac começou a vida como vendedor de carros na concessionária pertencente à família, cursou administração na Faap (Fundação Armando Alvares Penteado) e resolveu se arriscar pelo universo dos azeites. Em seguida, ele decidiu criar um restaurante que trouxesse ao Brasil o ar vintage de Paris da década de 1920, com riqueza de detalhes desde a decoração do ambiente até a beleza dos pratos.

“Em Paris, muitos lugares remetem ao passado, como o Café de Fleur, que recebia Simone de Beauvoir e Jean Paul Sartre e acabou se tornando um ponto de encontro de artistas. Isso também acontece aqui no Paris 6. Vários artistas começaram a se encontrar aqui, também os músicos e influenciadores. Todas as tribos estão aqui”, salienta o empresário.

Uma das marcas mais sólidas do Paris 6, sem dúvida, é o menu em que vários artistas e esportistas são homenageados cedendo seus nomes aos pratos. Lá, é possível encontrar um iguaria chamada “fettuccine au palmier à Anitta” ou “grand crêpe au chocolat de grand gateau à Neymar”. Isaac explica que a ideia inicial do prato vem do próprio famoso e, depois, o empresário vai moldando o conceito conforme os padrões da casa. Ao final, cada um é responsável por 50% da criação.

“Por exemplo, se a pessoa me diz que gosta mais de carbonara e eu já tenho isso no cardápio, nada me impede de criar uma outra versão dela. Ou também eu posso sugerir um acompanhamento para esse prato, como um camarão, então o processo criativo começa na adaptação àquilo que o homenageado mais gosta”, desenha. “Depois, eu dou a minha pegada do que eu gosto para aquele menu, somado também àquilo que o homenageado quer”, completa.

A escolha dos famosos que entram no cardápio da casa é bem criteriosa. Isaac destaca que o personagem precisa ter um relacionamento próximo com a casa,frequentar periodicamente, se envolver com o restaurante e já ter um histórico de fazer publicações nas redes sociais para garantir que ele vai divulgar aquele prato.

Leia Também:  Veja por onde passaram influencer e cão mortos em acidente nos EUA

“Não adianta nada homenagear uma pessoa que vem uma vez aqui e não vai divulgar o prato. Não tem um porquê. Tem de ser alguém que goste do Paris 6, que tenha expressão na mídia, pode ser músico, ator, atriz ou influenciador que tenha essa força. Potencialmente ele estará no menu do restaurante.”

Aliás, o fator “instagramável” é essencial na dinâmica de marketing do restaurante: os pratos que entram no menu têm o visual minuciosamente trabalhado, assim como a escolha da fotógrafa para deixar tudo com um padrão ímpar. Além de ser a responsável pelos cliques, Thati Bione também é advogada tributarista e também é famosa por ter participado do “Big Brother Brasil” 8 e Isaac aposta no olhar dela para deixar tudo ainda mais parisiense.

“Ela trabalha todos os meus pratos. As fotos têm uma característica única porque é só uma profissional que produz. É o mesmo ponto de vista, a mesma iluminação e tudo isso é trabalhado com ela desde o começo. A iluminação do restaurante é mais quente, puxado para o âmbar, então eu precisava disso nas fotos. Só o prato que não poderia estar com esse amarelado. Existe um grande trabalho para que todos os pratos sejam instagramáveis, mas sem perder as cores dele”, comenta.

Avaliações e localização

O iG Turismo foi convidado para saborear alguns pratos do Paris 6, a convite de Isaac. De entrada, escolhemos duas opções: uma “salade caesar au poulet à Miguel Falabella” (R$ 42) – salada de alface americana com crutons e pedaços de peito de frango – e “crevettes panée à l’a confiture de’apricot à Pocah” (R$ 149) – seis camarões grandes empanados e fritos com geleia de damasco –, este último, em especial, estava suculentíssimo. Como prato principal, comemos “saumon grillé aux crevettes à Bianca Andrade” (R$ 95) – filé de salmão grelhado ao molho de camarões – e “médaillons à la salce rôti au risotto de brie à l’huile de’olive trufee à Chorão” (R$ 97) – risoto de brie com medalhões com azeite trufado.

Os pratos degustados são simples, com ingredientes relativamente baratos que podem ser encontrados na maioria dos supermercados populares. Por isso, não vá achando que vai comer a comida mais diferente desse mundo porque esse nem é o objetivo do restaurante. Para se ter uma ideia, o prato mais apreciado pelo próprio Isaac é um bife de fígado, com arroz e batata frita que é uma releitura do que a mãe dele, Jeanette Azar, fazia para ele na infância. Alguns dos pratos também são tão grandes que podem ser divididos por duas pessoas, então vale a pena perguntar ao garçom sobre o tamanho deles para não desperdiçar.

Leia Também:  Destino dos famosos: as pirâmides e a preciosidades do Egito

As sobremesas do restaurante são muito populares, já apareceram em diversos Instagrams de famosos e tem gente que é atraída até lá só por causa delas. Para finalizar a refeição, o iG Turismo escolheu um “grand gateau au Kinder à Jade Barbosa” (R$ 57), que é um bolinho servido numa cumbuca, com ganache de chocolate meio amargo, pedaços de Kinder Bueno e um toque de calda de doce de leite. Para quem não gosta de sabor muito doce, fuja dessa opção.

Antes de finalizar a degustação dos pratos, Isaac ainda conta um spoiler sobre o que vem por aí: uma sobremesa em homenagem ao atleta fitness Toguro, dono do canal “Mansão Maromba” no Youtube.

“Ele queria um prato que fosse um ‘dia do lixo’, então ele criou um que é uma crepe de Oreo, com uma bola de sorvete. No meu Instagram pessoal eu até preparei essa sobremesa. Essa sobremesa vai ser lançada nesta quinta, dia 30”, revela.

A unidade que o iG Turismo visitou foi a Classique, que fica aberta 24h por dia, 7 dias por semana, na Rua Haddock Lobo, 1240, nos Jardins, a primeira de 27 unidades espalhadas pelo país. Os preços são um pouco salgados para quem quer apenas experimentar um jantar requintado, em um ambiente très chic, mas a grande novidade da casa é que as refeições poderão ser divididas em três vezes no cartão, o que facilita e muito para quem quer ter uma experiência em um dos restaurantes mais badalados da cidade.

No mês de julho, durante a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o Paris 6 vai fazer uma exposição com vários menus históricos com inscrições de escritores modernistas renomados que fizeram parte da Semana da Arte Moderna de 1922. São peças únicas de restaurantes da época que recebiam esses grandes nomes e que eles usavam os menus para fazer anotações.

“Mario de Andrade, Oswald de Andrade e outros modernistas frequentavam muitos restaurantes, colecionavam menus e escreviam em cima deles. A gente convidou um curador da própria Bienal que conseguiu reunir essas peças para uma exposição em quadros. Também vamos criar um mini menu com pratos da época, com duas entradas, três pratos principais e duas sobremesas que refletem àquela época”, avisa Isaac.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA